Banner

Faça um gatil na sua casaComo fazer cadeirinha de rodasAdaptando seu apartamentoFaça uma coleira com identificadorFaça uma fonte de água para gatosTranformando monitor velho em casaFaça brinquedos para gatosCama feita com calçaCama feita com moletonFaça um comedouro de garrafa petPlante graminha para gatos

13.2.15

Pulgas e carrapatos, como acabar com eles?

Faz tempo que quero fazer essa postagem, já que nessa época essas pragas se reproduzem com muito mais facilidade e muitos animais sofrem com eles e muitos tutores quase enlouquecem tentando acabar com as infestações. 

Em primeiro lugar vamos conhecer um pouco sobre as pulgas e carrapatos nesse pedaço do programa Bem Estar:
Trecho do Programa Bem Estar 
exibido em 04/01/2013 pela Rede Globo.

PULGAS:

Você sabia que quando há uma infestação apenas 5% das pulgas estão no corpo do animal enquanto que as outras 95% estão no ambiente? Pois é, e é no ambiente que elas passam a maior parde da vida delas.

Existem cerca de 2000 espécies de pulgas em todo o mundo, sendo só 3 delas as mais comuns em nossos animais de estimação. As pulgas se reproduzem muuuuuito rápido, em aproximadamente dois meses (seu tempo de vida médio), uma única pulga adulta pode gerar mais de 2000 ovos! Uma única pulga pode picar mais de 400 vezes o cachorro em apenas 1 dia.


Ciclo da pulga:

1) A cópula ocorre com a fêmea cavalgando o macho e elas costumam buscar mais de um macho para encher a ooteca (depósito de ovos). Os ovos não são visíveis a olho nu e são depositados sobre o animal hospedeiro, mas, como não aderem aos pelos, acabam escorregando e caindo. Por isso podem ser encontrados ovos em todos os locais que os animal hospedeiro frequenta. O número de ovos pode variar de acordo com a espécie da pulga e de acordo com o estado de saúde da mesma. O desenvolvimento embrionário varia, levando, normalmente, até 16 dias.
2) As larvas se deslocam rapidamente no ambiente que vivem (chão empoeirado ou com
Larva da pulga
terra, frestas de assoalhos, fibras de tapetes ...) e se alimentam de detritos orgânicos presentes nesse ambiente, muitas vezes se alimentando das fezes das pulgas adultas e das fezes dos nossos animais de estimação. As larvas não gostam de luz podendo chegar a penetrar 2,3 mm na areia para não pegar luz. O período larval varia de acordo com a espécie e conforme fatores como temperatura e fartura ou escassez de alimento, durando entre 9 e 20 dias.
3) Após essa fase a larva tece uma espécie de seda adesiva ao redor de si mesma que aderirá partículas do ambiente, formando, assim, a pupa. A pupa é semelhante a um casulo, quase imperceptível e resistente a produtos de limpeza. Esse estágio dura normalmente entre 7 e 10 dias, dependendo da espécie pode chegar a 365 dias.
4) Atingindo a fase adulto, a pulga necessita de um estímulo externo para sair do casulo. Esse estímulo pode ser o calor, a umidade do ar... até mesmo o movimento do ar com o ato de abrir ou fechar uma janela ou porta  pode ser um estímulo a essa eclosão. Sem esse estímulo, a pulpa pode ficar até 1 ano sem eclodir. Após a eclosão, as pulgas podem viver mais de 100 dias. 


As pulgas podem transmitir diversas problemas de saúde tanto aos humanos quanto aos não-humanos, as principais são:

Auto lesões causadas por
DAPP
  • Alergias de pele: Ao picar a pele do hospedeiro, a pulga deposita ali sua própria saliva que possui um anticoagulante que facilita a sucção do sangue. Acredita-se que essa substância seja a responsável por provocar aquela coceira irritante. Alguns animais são mais sensíveis e desenvolvem alergias que podem causar eczemas e outras doenças cutâneas, sendo a Dermatite Alérgica por Picada de Pulgas (DAPP) é a doença dermatológica mais comum entre os animais domésticos.
  • Anemia: Em casos de infestação o hospedeiro pode desenvolver anemia devido a grande quantidade de sangue que é sugado. 
  • Verminoses: As pulgas podem transmitir alguns parasitas intestinais. Isso ocorre
    porque enquanto estavam na fase larval elas ingeriam fezes de animais, foi aí que podem ter ingerido ovos de tênias. As tênias são vermes achatados e tem aparência de uma fita com várias divisões. A espécie mais comum de tênia é o Dipylidium caninum, conhecido também como verme da pulga. O animal também pode ingerir os ovos de tênias ao se coçar com os dentes.
    Dipylidium caninum
  • Desgaste dos dentes: Alguns animais, quando expostos por muito tempo a uma
    infestação podem sofrer com o desgaste dos dentes por usarem muito os dentes para se coçarem.
    Cão com os dentes gastos
  • Estresse: O animal fica agitado e se coça constantemente devido à coceira incessante, podendo se tornar deprimido ou agressivo.


COMO COMBATER:

A imagem acima é da chamada 'sujeira de pulga'. Algumas pessoas pensam que esses pontinhos pretos são ovos de pulgas, mas na verdade são as fezes das pulgas. Se o seu cão ou gato apresentar essa sujeira, mesmo que você não veja a pulga, procure um veterinário e para iniciar o combate a essas pragas antes que se instale uma infestação.

O Médico Veterinário dr. Alexandre Figueiredo literalmente desenhou as vantagens e desvantagens de diversos anti-pulgas que temos no mercado e ainda deu dicas ótimas de como utiliza-los:

Como acabar com as pulgas nos animais:

Shampoos e sabonetes:
Vantagens
Desvantagens
  • Não vejo nenhuma
·  Matam as pulgas apenas enquanto estão em contato com o produto durante o banho. Após o banho o animal está livre das pulgas até ser colocado no ambiente contaminado novamente.
·  Não tem efeito residual.
·  Além disso, se o banho com estes produtos não for feito com cuidado, o animal pode acabar ingerindo o produto e ter complicações. Portanto, muito cuidado se for dar banho no seu cachorro com produtos assim.


Talcos anti-pulgas:
Vantagens
Desvantagens
·      Indiretamente cai no ambiente ajudando a reduzir a carga parasitária deste;
·    Mais utilizado para o controle do ambiente do que propriamente para o controle no animal.
·      Fácil aplicação
· Pouco poder residual e sem um período certo de prevenção.


Coleiras anti-pulgas:
Vantagens
Desvantagens
·      Muitas delas tem efeito prolongado, de 3 até 7 meses.
·      Poucas são realmente eficazes.
·      Se forem molhadas diminuem o tempo de ação.
·  Deve-se evitar ficar tocando nelas, pois o remédio vai sendo liberado aos poucos nesse período e pode causar alguma irritação tanto na pele do cachorro quanto na sua pele e se entrar em contato com sua boca ou olhos. 
Atenção: Muitos profissionais não recomendam o uso de coleiras anti-pulgas em gatos pelo risco de intoxicação.

Pipetas: Existem algumas no mercado com princípio ativo diferente, logo, podem variar de eficácia, mas no geral funcionam bem. O mecanismo de aplicação é diretamente na pele, para isso, deve-se afastar os pelos para que a aplicação seja feita de forma correta. O local mais indicado é na nuca, pois o cachorro não terá como lamber depois da aplicação.
Vantagens
Desvantagens
·      Normalmente são utilizadas como prevenção, mas também atuam no combate à infestação.
·      São de fácil aplicação.
·      Protegem por no mínimo 30 dias (dependendo da infestação).
·      É seguro e o animal não precisa ser picado para que a pulga morra, basta ela entrar em contato com o pelo ou a pele do animal, algumas pipetas ainda interferem na reprodução das pulgas, ajudando no combate da infestação ambiental.
·      Algumas protegem também contra carrapatos, mosquitos e vermes intestinais.
·      Filhotes com menos de 60 dias ou menos que 1 kg de peso não devem receber este tipo de medicamento com risco de intoxicação!
·  Após a aplicação do produto, alguns fabricantes indicam não dar banho no animal nos 2 próximos dias.
Observação: Deve-se respeitar o tipo de pipeta para cada peso do cachorro. Por exemplo: tem pipetas para animais de até 10kg, de 11 a 20kg, de 21 a 40kg e outras variações.

Spray: Muita atenção ao comprar estes produtos, pois há sprays anti-pulgas para serem usados diretamente no cachorro e outros que só devem ser usados no ambiente. Neste momento, falarei apenas dos que devem ser usados diretamente nos cachorros.
Vantagens
Desvantagens
·      São muito bons para controle de infestações no animal.
·      É seguro e o animal não precisa ser picado para que a pulga morra, basta ela entrar em contato com o pelo ou a pele do animal.
·      Alguns fabricantes indicam o produto inclusive para filhotes a partir de 2 dias de vida e fêmeas prenhes e/ou lactantes.
·     Normalmente protegem por um período de 30 a 90 dias.
·      O produto deve ser aplicado em todo o corpo do animal, incluindo patas, barriga, rabo e cabeça (cuidado com os olhos e boca; melhor neste caso usar um algodão molhado com o produto).
·      Se não tomar estes cuidados, o animal ainda pode ser parasitado.


Comprimidos: Há poucas opções de comprimidos contra pulgas no mercado, mas uma delas acaba com as pulgas apenas durante 24 - 48 horas, já os outros dois têm ação mais eficaz e duradoura e aqui eu vou me referir a eles.
Vantagens
Desvantagens
·      Por serem comprimidos, os animais que já estejam com a pele bastante ferida e que poderia ter alguma irritação no local de aplicação, ficam livres dessa possibilidade.
·      Têm ação rápida, podendo ver pulgas mortas a partir de 30 min, mas os fabricantes dizem que em até 4 horas todas as pulgas no cachorro já morreram.
·  Por matar a pulga logo após a primeira picada, estas não têm tempo de colocar ovos e com o uso mensal contínuo, ajudam a combater a infestação no ambiente. São seguros para animais a partir de 1 kg.
·      Alguns donos podem ter dificuldade para dar o comprimido, pois alguns cachorros não aceitam comer espontaneamente ou junto com outros alimentos.
· Além do mais, o comprimido pode se despedaçar neste momento e o proprietário fica sem saber se a dose foi ingerida corretamente.
Observação: Deve-se respeitar o peso do cachorro de acordo com a dose indicada para ele. Procure orientação veterinária para o uso correto do medicamento.

Dica: Você pode fazer associações ao mesmo tempo para eliminar as pulgas do seu cachorro, por exemplo: Spray + Coleira; Pipeta + Comprimido; Spray + Comprimido. Nunca mais do que 2 associações ao mesmo tempo! Consulte o médico veterinário para fazer essa associação.

Como acabar com as pulgas no ambiente:

Talco: Como falei anteriormente, o mesmo talco que você pode utilizar no seu cachorro, você também pode usar para o controle do ambiente. Para isso, basta colocar um pouco do talco dentro do saco do aspirador de pó e aspirar toda a casa, principalmente se for de tábua corrida ou tacos (ficam nas frestas), tapetes, caminhas e locais onde o animal fica, inclusive o sofá, se o cachorro sobe nele. É interessante aspirar um pouco do talco, para que o próprio tubo da mangueira do aspirador entre em contato com o talco, como se você estivesse “untando” o tubo por dentro. Desta forma, todos os ovos, larvas e pupas que você aspirar vão entrar em contato com o talco e morrerão.
Vantagens
Desvantagens
·      Ajuda bastante a reduzir a infestação no ambiente sem necessidade de tirar pessoas e o próprio animal de casa.
·     Tem um custo baixo em relação a outros produtos com a mesma finalidade, pois pode ser usado várias vezes.
·    Trabalhoso, pois dependendo do tamanho da casa o procedimento vai demorar.
·      É necessário fazer pelo menos 1 vez a cada 2 semanas (tempo mínimo que um ovo de pulga se transforma em adulto) até que se tenha conseguido controlar a infestação.
·  Se não for muito bem feita (sem esquecer nenhuma parte da casa) pode não conseguir controlar totalmente a infestação, mas ainda assim vai ajudar.
Dica: Usar um aspirador de pó com talco anti-pulgas dentro no saco do aspirador e aspirar todos os locais que o animal fica ajuda no controle da infestação no ambiente.

Spray ou aerossóis: Lembrando que irei falar aqui dos sprays para serem usados apenas e somente no ambiente e nunca no animal. Da mesma forma que a aspiração com o talco anti-pulgas deve ser feita em todo o lugar que o animal fica, também deve ser realizada a pulverização com o spray.
Vantagens
Desvantagens
·   É de fácil aplicação se você quiser selecionar locais específicos, como a caminha do cachorro, tapetes, sofás ou coisas isoladas, como forma de ajudar no combate a infestação.
·   Alguns fabricantes dizem que após a aplicação, o produto pode eliminar as pulgas e seus ovos, larvas e pupas por até 6 meses.
·  O produto normalmente seca rapidamente e após 30 minutos, deve-se deixar ventilar bem o ambiente antes de colocar novamente os animais.
·  Deve-se retirar todos os animais do ambiente (incluindo cachorros, gatos, pássaros e os aquários devem ser isolados com tampa ou cobertos com plástico).
·    A pessoa que estiver aplicando deverá usar luvas, máscara e óculos para proteção.
·   Tecidos delicados, plásticos, resinas, vernizes e ceras podem interagir com o produto, provocando manchas na superfície tratada.
·    Se a área for muito ampla, o custo será mais alto, pois deve-se pulverizar por cerca de 10 segundos para cada m² de área, além de ser trabalhoso.
Observação: Venda sob prescrição e aplicação sob orientação do médico veterinário. Leia a bula, pois trata-se de um medicamento tóxico.

Dica: Utilizar os sprays para ambiente apenas para lugares mais específicos, como a caminha, casinha ou cantinho que o cachorro fique. Utilizar outra forma de combate para o restante do ambiente.

 Inseticidas: Normalmente a base de Deltametrina, são de uso exclusivamente para ambientes ou para animais de grande porte, como bovinos e equinos, mas jamais devem ser utilizados diretamente em animais de companhia. São aplicados com borrifadores ou panos úmidos com a diluição. Deve-se deixar o ambiente bastante ventilado durante a aplicação e sua secagem natural.
Vantagens
Desvantagens
· Tem efeito residual no ambiente por cerca de 14 dias, portanto, caso a infestação continue após a primeira aplicação, deve-se repetir a cada duas semanas.
·  Serve para outros tipos de insetos, como carrapatos, traças e baratas.
· Deve-se retirar todos os animais do ambiente (incluindo cachorros, gatos, pássaros e os aquários devem ser isolados com tampa ou cobertos com plástico).
·    A pessoa que estiver aplicando deverá usar luvas, máscara e óculos para proteção.
·   Só retornar com os animais e crianças após ter saído todo o cheiro e o piso estiver secado naturalmente.
Observação: Venda sob prescrição e aplicação sob orientação do médico veterinário. Leia a bula, pois trata-se de um inseticida tóxico.

Dica: Utilize os inseticidas de preferência num final de semana. Aplique-o pela manhã em todo o piso e passe o dia fora com a família e é claro, seu cachorro, deixando as janelas abertas. Ao retornar na parte da tarde o cheiro já saiu e estará seco.

Empresa dedetizadora: Existem várias pelo Brasil, cabe a você se informar qual delas faz o serviço e seu custo.
Vantagens
Desvantagens
· Você, nem ninguém da sua família se expõem ao risco de lidar com substâncias tóxicas. O trabalho todo fica por conta da dedetizadora.
·   Costuma ter bons resultados e algumas dão garantia por meses.
· Alto custo em relação aos demais produtos.

Dica: Se você pode gastar dinheiro com uma empresa dedetizadora, é a melhor opção para acabar com uma infestação no ambiente.

Segundo o dr. Alexandre Figueiredo, é importante saber onde está o foco da infestação, pois se o foco estiver na casa do seu vizinho, por exemplo, e não propriamente na sua casa, você nunca vai estar com o seu ambiente 100% livre das pulgas.


ATENÇÃO: É muito importante ter em atenção que todos os produtos usados nas desparasitações dos animais são capazes de causar intoxicações, caso não sejam utilizados de acordo com as recomendações do fabricante. 

Caso suspeite de intoxicação, leve o animal correndo até o veterinário.




CARRAPATOS:

Você já ouviu falar em micuins? Quando era criança sua mãe também dizia para não brincar na grama por causa dos micuins? Sabe o que é Micuim? Micuim é o 'filhote' do carrapato-estrela. Ou melhor, micuim é o nome que se dá à larva do carrapato-estrela.
São conhecidas cerca de 800 espécies em todo o mundo. As mais comuns são o carrapato-estrela e o carrapato marrom. Se você já viu um carrapato subindo uma parede (sempre me perguntei porque eles escalam paredes, rss) é a fêmea fecundada procurando um local para fazer o ninho, elas gostam de locais altos, sem umidade e com baixa luminosidade.
FOTO © Marja Milano, 2006


Ciclo do carrapato:


A cópula ocorre com os parasitas fixados e se alimentando no hospedeiro. Em seguida, a fêmea fecundada cai no chão e põem os ovos que ao eclodirem darão origem à larva.
Depois de se alimentarem de um hospedeiro, as larvas voltam ao chão e ficam um tempo sem se alimentarem até se tornarem ninfas. É muito comum se observarem nos pastos, verdadeiros bolos de micuins sobre arbustos, à espera de um hospedeiro.
As ninfas, após se alimentarem do hospedeiro, voltam ao chão para se transformarem em carrapatos adultos. Então os carrapatos escolhem um hospedeiro para se alimentarem e reiniciarem um ciclo de reprodução.

Para entender melhor a Bayer fez esse vídeozinho que mostra bem como é esse ciclo:


Os carrapatos podem transmitir sérias doenças aos animais de estimação e aos seus tutores também, entre elas:

  • Dermatoses: assim como nas picadas por pulgas, alguns animais são mais sensíveis e desenvolvem alergias que podem causar eczemas e outras doenças cutâneasa. A gravidade depende da densidade da infestação e do animal desenvolver ou não uma reação hipersensibilidade às picadas.
  • Infestação do canal auditivo: pode causar otite externa, inclinação da cabeça, balanço da cabeça e ocasionalmente hematomas aurais
  • Paralisias: causadas pela picada de fêmeas de algumas espécies de carrapatos. Na saliva dessas fêmeas há uma potente toxina que atinge o sistema nervoso podendo causar paralisias. Em casos graves o animal precisa ser hospitalizado para tratamento intensivo.
  • Babesiose: é uma doença grave, causada por um protozoário (Babesia canis) capaz de causar uma grave anemia. Pode ser transmitido por diversas espécies de carrapatos, mas principalmente pelo carrapato-vermelho. Não existe vacina de prevenção, o diagnóstico deve ser feito por um médico veterinário e o tratamento é feito com uso de medicamentos específicos.
  • Erliquiose canina: essa doença é transmitida pelos carrapatos aos cães, mas existem casos de gatos e de humanos infectados. Não existe vacina de prevenção, o diagnóstico deve ser feito por um médico veterinário e o tratamento é feito com uso de medicamentos específicos.
  • Febre maculosa: essa doença atinge humanos e se dá pela picada por carrapatos infectados pela bactéria Rickettsia ricketsii . Estudos já demonstraram que além da transmissão por picada, a transmissão também pode se dar pelo contato de fezes e tecidos de carrapatos esmagados com os olhos ou micro-lesões cutâneas. O transmissor dessa doença é o carrapato-estrela, aquele que quando está na fase larval é chamado e micuim. A transmissão pode se dar entre 4 a 6 horas após o carrapato se fixar na pele. Recentemente uma criança de 12 anos faleceu no estado do Paraná devido a essa doença. A dificuldade de diagnóstico se dá pela semelhança dos sintomas com os de outras doenças como a gripe e a dengue. A doença pode levar a morte em 40% dos casos. Em 2012 o Ministério da Saúde registrou 66 casos, com 29 mortes.
  • Doença De Lyme: é uma infecção transmitida por carrapatos aos cães e seres humanos, com maior frequencia na America no Norte e na Europa. No Brasil já houveram casos no estado do Rio de Janeiro. Os sintomas são diversos podendo acometer diversos orgãos. Nos cães pode causar dor articular aguda. Nos EUA já existe vacina de prevenção, mas não tenho conhecimento de que já tenha chegado no Brasil.


COMO COMBATER:

A prevenção se dá como no caso da infestação por pulgas, mas devemos ficar atentos a algumas diferenças como os locais altos que as fêmeas de algumas espécies procuram para fazer os ninhos.
Prestem atenção ao fato de que nem todos os produtos eficientes no combate a pulgas será tão eficiente no combate aos carrapatos e vice-versa. Alguns produtos são ótimos contra carrapatos, mas com pulgas não fazem nem cócegas. O ideal é consultar sempre um médico veterinário para que ele indique um produto específico.
Também é importante limpar ao redor da residência, já que em muitos casos os carrapatos são trazidos por pequenos animais como ratos.

Dica: Se for passear no mato, use repelente, botas e evite tocar na grama ou nos animais. Na volta, lave as botas com sabão de coco, seque-as ao sol, tome banho, lave o cabelo e veja se há carrapatos na roupa, na pele ou na cabeça




ATENÇÃO:
Na internet há muitas receitas "naturais" para acabar com as pulgas e os carrapatos. NÃO FAÇAM NENHUMA sem antes conversar com um Médico Veterinário. Muitos dos ingredientes usados nessas receitas são tóxicos para animais, como a cânfora. Se a tia da vizinha da amiga da prima da sua mãe usou e foi uma maravilha, não vá atrás e não arrisque seu bichinho!


Fontes:

BayerPet 
Whippets
Clínica Faro Animal
Gerenciamento de Sinantrópicos
Wikimedia Commons
Bayer Pet
SANERG
Dicas Peludas
Agência de Notícias do Paraná
Policlínica Veterinária de Cotia
Pet Love
Escola do Cavalo
Dicas Boas pra Cachorro
Roskam
Bem Estar

2 comentários: